• Redes Sociais

Flea Market 2017: generosidade na troca de brinquedos

17436228_1212270535488678_5661231755983693737_o

Com poucos brinquedos em mãos ou com uma sacola cheia deles, crianças de diversas idades entraram no último sábado (18) na Juan Uribe Ensino Afetivo para mais um Flea Market. A tradicional feira de trocas de brinquedos reuniu alunos, familiares, convidados e a equipe inteira da escola.

Logo na entrada, as crianças foram recepcionadas pela equipe administrativa e, junto com as boas-vindas, elas ganharam “uribes”, a moeda fictícia do evento. “Todos os alunos receberam 10 uribes para decidir o preço dos brinquedos”, explica a educadora Carol Passos.

Cada criança ganhou um espaço para expor seus pertences: gibis, carrinhos, bichos de pelúcia, cards, bonecas, jogos de tabuleiro, figurinhas, brinquedos de madeira, miniaturas e livros infantis. Brinquedos significativos para elas, mas que teriam a chance de conquistar novas histórias e significados nas mãos de outras crianças. Em alguns momentos, elas deixavam suas barracas para circular livremente pela escola, a procura de alguém que se interessasse por algum brinquedo que estava carregando no momento.


“How much is it?”, perguntavam quando um brinquedo chamava a atenção. Embora as negociações fossem feitas diretamente entre as crianças, os educadores e os familiares orientavam alguns momentos da venda, especialmente na hora da pechincha. Se a criança tinha dois uribes e queria um brinquedo que estava três uribes, ela tentava fechar um “deal”. “Can I have a discount?”

“Algumas crianças buscavam “vender” os brinquedos por uribes, e outras abordavam outros colegas com o intuito de trocar o brinquedo por algum outro que podia lhe interessar”, comenta a educadora Camila Adriano.

Além de promover o desapego e fortalecer a comunicação em inglês, o Flea Market reflete uma situação de vida real, na qual as crianças têm autonomia para escolher como vão trocar seus brinquedos. Ao ter a experiência da negociação, as crianças trabalham o raciocínio lógico, calculam valores e aprendem a fazer pesquisa de mercado, para saber a média de preço do seu produto.

“Também estimulamos que as crianças façam as trocas de brinquedos independente da quantidade de uribes que ganharam ao chegar ou que acumularam durante o evento”, acrescenta Camila. A educadora ressalta o papel da moeda uribe, de auxiliar a criança a estruturar e visualizar o movimento das trocas.

“Neste Flea foi maravilhoso observar as crianças, de diferentes idades, se ajudando em suas trocas, cálculo do “troco”, sugerindo brinquedos, doando seus próprios uribes para outras crianças que não tinham mais e, até mesmo, a generosidade evidenciada por alguns alunos, que nos pediam auxílio para comprar ou trocar brinquedos que eles desejavam dar de presente para algum amigo, conhecido ou familiar que não estava no Flea”, completa Camila.

Os brinquedos que não foram trocados puderam ser depositados em uma caixa de doação. Uma atitude que realça a perspectiva do compartilhamento, da generosidade e do exercício do olhar em relação ao outro.

Comments are closed.